terça-feira, 21 de abril de 2009

A República Negra do Harlem

A República Negra do Harlem com suas marcas históricas que revelam a importância do lugar para as conquistas negras nos Estados Unidos e na Diáspora.

Os jovens empreendedores visitaram neste dia 21 de abril a Biblioteca Schomburg, na Boulevard Malcolm X, com uma exposição sobre a trajetória política da comunidade negra (deste os impérios africanos, passando pela luta abolicionista e pelos direitos civis, culminando com a eleição do presidente Barack Obama) e o Museu Studio, na 125º Avenida, com a arte contemporânea produzida por artistas do Harlem e exportada para o mundo. São fotos, esculturas, pinturas, instalações e grafites que mostram a influência da produção artística dos afrodescendentes para a arte mundial.
Andando pelas ruas repletas de lojas enfeitadas com fotos de Obama, os jovens puderam perceber o clima tranqüilo do “paraíso do jazz”, o que vem atraindo a classe média branca de Nova Iorque. O que antes representava apenas 3% da população local, os brancos chegaram ao Harlem após o local reverter a imagem de criminalidade e violência, a partir dos anos 90, graças a luta dos próprios negros do bairro.

Território que revelou para o mundo nomes fundamentais que circularam no bairro, como os intelectuais do movimento Harlem Renaissance, os militantes pelos direitos civis americanos - Malcolm X e Martin Luther King - e artistas que movimentaram o Teatro Apollo como Billie Holiday, Ella Fitzgerald e os Jackson Five, entre outras personalidades negras que encontraram no Harlem alimentos intelectual, artístico e político para suas lutas.

Veja as fotos de Ilka Danusa, colaboração de André Santana e Alisson Santos de Sousa.
video

Um comentário:

  1. Gostei muito desse projeto! concerteza esses conhecimentos mudaram a vida desses jovens.
    Gostaria de saber qual é o procedimento para participar desse evento?

    ResponderExcluir